Carro é guinchado ao exceder tempo do EstaR

Aplicação do auto de infração está prevista no artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)

Divulgação
Divulgação
Divulgação

Motorista que deixar o carro em vagas do Estacionamento Rotativo (EstaR) acima do limite de tempo permitido pode ter o veículo guinchado. Foi o que aconteceu com uma caminhonete Ford Pampa ano 1990 que estava na Rua Coronel Menna Barreto Monclaro, no Centro, na tarde desta sexta-feira (23/8).

A medida, aplicada neste caso por agentes da Superintendência de Trânsito (Setran), está prevista no artigo 181 (inciso XVII) do Código de Trânsito Brasileiro (CTB): estacionamento em desacordo com a regulamentação, em estacionamento regulamentado indicado com placas. O veículo foi levado ao pátio da Setran. 

Conforme determina o CTB, a infração é de natureza grave, com multa de R$ 195,23 e perda de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da possibilidade de remoção do veículo.

Vagas de uma e duas horas

Atualmente, a cidade tem 10.191 vagas de Estacionamento Regulamentado (EstaR) que podem ser ocupadas pelo período de até duas horas. Outras 442 vagas podem ser ocupadas por uma hora. O tempo máximo permitido está indicado nas placas ao lado das vagas. 

O veículo também pode ser guinchado caso esteja estacionado em vagas exclusivas para idosos ou deficientes, sem a devida comprovação. O mesmo acontece em locais em que é permitido apenas o embarque e desembarque ou parada de 15 minutos com pisca-alerta ligado. 

Compartilhe nas redes sociais

Mais notícias

Setran participa de fórum do Vida no Trân ...

Sistema sonoro de alerta para pedestres, implantado em cruzamento movimentado de Curitiba, foi apresentado no evento

Maratona de Curitiba altera o trânsito

Ruas serão compartilhadas entre atletas e motoristas, com orientação dos agentes da Setran

Veja o que abre e fecha no feriado

Unidades administrativas e de atendimento nas Ruas da Cidadania das Regionais não funcionarão

Prefeitura isenta carros elétricos do Est ...

O decreto vale para veículos elétricos particulares e também para carros de compartilhamento elétrico (sharing) na cidade