Fiscalizações deixam o trânsito mais seguro

Imprudência e desrespeito à sinalização são condutas que mais causam acidentes graves, de acordo com análise do Programa Vida no Trânsito (PVT)

Divulgação
Divulgação
Pedro Ribas (arquivo)
Pedro Ribas (arquivo)
Cesar Brustolin/SMCS
Cesar Brustolin/SMCS
Luiz Costa/SMCS
Luiz Costa/SMCS
Divulgação

De manhã, à tarde, noite e madrugada, as equipes técnicas da Superintendência de Trânsito (Setran) trabalham de forma intensa para melhorar a segurança viária. Além do trabalho de implantação da nova sinalização, projetos e avaliações são feitos de forma periódica, observando mudanças e necessidade de intervenções.

Agentes de trânsito auxiliam os motoristas durante chuvas, quando aparece uma erosão ou um problema pontual na pista e organizam as situações mais diversas.

“Estamos fazendo a nossa parte para reforçar a atenção que o motorista precisa ter ao volante. Mas é necessário que cada um tenha consciência de que a vida, sua e dos demais, é o maior bem e por isso a responsabilidade do indivíduo não pode ficar de lado”, salienta o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.

De acordo com análise do Programa Vida no Trânsito (PVT), o desrespeito à sinalização e atitude imprudente estão entre as principais condutas causadoras de acidentes fatais na cidade. 

A responsabilidade individual destacada pelo secretário passa pelo respeito aos limites de velocidade e às demais leis de trânsito. Quando isso não acontece, a fiscalização precisa entrar em cena.

São ações de rotina e blitze organizadas para reprimir infrações como excesso de velocidade (com o apoio de radares estáticos) e situações como falta de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), veículo em mau estado de conservação e o chamado “infrator em série”, que acumula multa de todo tipo de natureza.

“Balanço do ano demonstra o quanto esse trabalho tem sido importante, para coibir irregularidades que contribuem para um trânsito mais inseguro”, aponta Rangel.

Foram mais de 100 blitze no ano de 2019, além de 109 fiscalizações com radar estático. Após testes com etilômetro, 24 condutores foram encaminhados à Delegacia de Delitos de Trânsito. Por apresentarem infrações de trânsito, 4.736 veículos foram guinchados. Outros 146 carros abandonados foram retirados das vias públicas e 1.310 recolhidos pelos próprios proprietários após vistoria da Setran.

Com os carros removidos e não retirados pelos proprietários, foram promovidos 19 leilões, a partir dos quais 1.324 veículos foram arrematados.

Leia mais

Compartilhe nas redes sociais

Mais notícias

Rua da PUC terá faixa exclusiva para ônib ...

A partir de segunda-feira (27/1), agentes de trânsito começam a orientar os motoristas no trecho

Prefeitura define organização para o Carn ...

Foram apresentadas as estratégias de segurança da PM em conjunto com a Guarda Municipal para evitar imprevistos nos locais de eventos da folia

Setran orienta sobre o uso das motocaixas

A ideia, que vem sendo testada em diversos centros urbanos, é que as motos ocupem o espaço e, na abertura do semáforo, saiam antes dos outros veículos

Opções de desvio da Victor Ferreira do Am ...

Enquanto durarem as obras, trânsito pode ficar mais carregado na divisa de Curitiba com Pinhais.