Limite de 50 km/h será o padrão na cidade

Projeto tem objetivo de reduzir a gravidade dos acidentes de trânsito

Foto: Daniel Castellano / SMCS
Foto: Daniel Castellano / SMCS
Foto: Daniel Castellano / SMCS
Foto: Daniel Castellano / SMCS
Foto: Daniel Castellano / SMCS

Depois das avenidas Visconde de Guarapuava, Silva Jardim e Presidente Kennedy, a Superintendência de Trânsito (Setran) vai dar continuidade à padronização em 50 km/h o limite de velocidade em diversas ruas da cidade. A alteração já ocorreu também nas ruas João Bettega, Desembargador Westphalen e Engenheiros Rebouças.

O projeto, que iniciou em 2020, vai se estender nos próximos meses para vias como Victor Ferreira do Amaral, Júlia da Costa, Princesa Izabel, Almirante Tamandaré, Ângelo Sampaio, João Negrão e XV de Novembro. Mas não serão as únicas, conforme explica a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

“Com exceção das vias rápidas, Avenida Comendador Franco e Linha Verde, as demais passarão por essa mudança que tem como foco evitar e, principalmente, reduzir a gravidade dos acidentes ocasionados, além da própria organização do trânsito”, reforça Rosangela.

A Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza (ligação do Campo do Siqueira à CIC) e a Avenida Mascarenhas de Moraes (do Santa Cândida ao Atuba) são algumas das vias que permanecerão com limite permitido de 60 km/h. A Linha Verde e a Avenida Comendador Franco continuam com 70km/h.

Tendência mundial

A força-tarefa, destaca a superintendente do órgão, possui embasamentos técnicos de engenharia da via, como geometria, demanda de tráfego e análise da acidentalidade. Estudos diversos do setor comprovam que a velocidade média e a fluidez no trânsito melhoram com vias urbanas em velocidades regulamentadas em 40 km/h e em 50 km/h.

“Ações reconhecidas mundialmente, como o Programa Vida no Trânsito (PVT), chancelado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que agora entra em sua segunda década de ação pela segurança no trânsito, e o Visão Zero recomendam a adoção de redução de velocidade nas vias urbanas”, explica Rosangela.

Iniciado na Suécia e incorporado por diversas cidades ao redor do mundo, o Visão Zero no Trânsito propõe intensificar intervenções na infraestrutura viária, ações de educação e de fiscalização de trânsito, de forma a minimizar consequências do erro humano.

Motocaixas

O projeto de alteração na sinalização da Avenida Victor Ferreira do Amaral virá atrelado à implantação de motocaixas entre as ruas Frei Orlando e Paulo Kissula. A sinalização que delimita espaço exclusivo para que motociclistas aguardem a abertura do sinal verde à frente dos demais veículos é outra mudança com o objetivo de garantir mais segurança e evitar acidentes envolvendo motociclistas.

Pioneira da iniciativa na cidade, a Victor Ferreira do Amaral recebeu a primeira motocaixa em frente ao Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), em 2018. De lá pra cá, o projeto foi expandido para algumas das principais vias da cidade. Confira:

  • Avenida Silva Jardim - 20 cruzamentos em uma extensão de 4,1 quilômetros, entre as ruas Teixeira Soares e Conselheiro Laurindo.
  • Avenida Visconde de Guarapuava - 16 cruzamentos em uma extensão de 2,2 quilômetros, entre as ruas General Carneiro e Desembargador Motta.
  • Avenida Wenceslau Braz - quatro motocaixas por sentido (Linha Verde e Portão), em trechos de 2,5 quilômetros.
  • Avenida Presidente Kennedy - 15 cruzamentos entre as avenidas República Argentina e Marechal Floriano Peixoto, nos dois sentidos.
  • Linha Verde - 20 cruzamentos nas pistas sentido Norte e sentido Sul, entre a Avenida Comendador Franco e a Rua Izaac Ferreira da Cruz.
  • Avenida Marechal Floriano - no cruzamento com a Rua Marechal Deodoro.
  • Avenida Victor Ferreira do Amaral - nos dois sentidos, em frente ao Detran-PR, no Tarumã.

Mais notícias

Semana Nacional do Trânsito será aberta nesta tarde

Celebrada de 18 e 25 de setembro, a semana busca conscientizar a população sobre boas práticas no trânsito e, consequentemente, reduzir o número de...

Trecho da República Argentina terá bloqueio para avanço de obras

A interrupção da passagem para motoristas deve ocorrer por um período de aproximadamente 45 dias

Representante da OEA conhece estrutura da Muralha Digital de Curitiba

Marcela Vega faz parte de uma missão de observação da OEA para acompanhar as eleições no Brasil

Prefeitura vai monitorar eleições com câmeras da Muralha Digital

Servidores do município vão atuar na logística e segurança das urnas até o pleito e também nas intervenções de trânsito