Calçadas e ciclovias qualificadas favorecem mobilidade saudável

Prefeitura já investiu na melhoria de 47.434 metros de passeios e muito mais será feito com o programa Caminhar Melhor, que está em fase final de...

  • Calçadas da rua Voluntários da Pátria.  Foto: Pedro Ribas/SMCS
  • Calçada na avenida Manoel Ribas no bairro Santa Felicidade..
Foto: Valdecir Galor/SMCS
  • Pavimentação e calçamento na rua Agamenon Magalhães .
Foto:Daniel Castellano/SMCS
  • Calçada na rua São Francisco.
Foto: Levy Ferreira/SMCS
  • Avenida Manoel Ribas no bairro Santa Felicidade. Foto: Daniel Castellano / SMCS
  • Calçamento na rua Raul Pompéia trecho entre a Fazendinha e a Av Jucelino K de Oliveira, no CIC.
Foto: Cesar Brustolin/SMCS
  • Rua Trajano Reis, no Centro. 
Foto: Pedro Ribas/SMCS
  • Avenida Getúlio Vargas.
Foto: Valdecir Galor/SMCS
  • Avenida Getúlio Vargas.
Foto: Valdecir Galor/SMCS
  • Calçadas e ciclovias qualificadas favorecem mobilidade saudável . Foto: Divulgação

 

Entre 2017 e 2020, a Prefeitura implantou ou realizou melhorias em 25.270 metros de calçadas que servem a pedestres de bairros curitibanos. Mais 22.164 metros estão recebendo obras neste momento, favorecendo a infraestrutura de outras localidades da capital. 

“Entre obras implantadas e em execução, a cidade tem quase 50 quilômetros de novos passeios acessíveis. São intervenções orientadas no plano do prefeito Rafael Greca para favorecer o caminhar seguro e a contemplação do espaço urbano”, disse Rodrigo Rodrigues, secretário municipal de Obras Públicas.

Além das obras já realizadas e em curso, os investimentos da Prefeitura para favorecer a mobilidade não motorizada, com calçadas acessíveis e novos ramais cicloviários serão ainda ampliados com o Programa Caminhar Melhor, que garantirá investimentos de R$ 40 milhões e mais avanços a quem opta por fazer seus deslocamentos a pé ou de bicicleta, caminhando ou pedalando para ganhar saúde e respeitar dias como este 22 setembro, quando é celebrado o Dia Mundial Sem Carro.

As intervenções já concluídas pela Prefeitura no Uberaba, Cidade Industrial de Curitiba (CIC), Tarumã, Santa Felicidade, Tatuquara, Bairro Alto, Seminário, São Francisco, Alto da Glória, Mossunguê e Centro garantem condições mais adequadas aos pedestres que transitam na marginal da BR-277, pelas alças da trincheira da Ceasa, entre as estações Vila Olímpica e Fagundes Varela, na Linha Verde, na região no entorno da trincheira da Rua General Mário Tourinho, na Avenida Manoel Ribas, na Rua Raul Pompéia e nas vias de acesso ao elevado e nas ruas Governador Agamenon Magalhães, Trajano Reis, Padre Camargo, Deputado Heitor Alencar Furtado, Luiza Mazetto Baggio, São Francisco, Voluntários da Pátria e Doutor Leão Mocellin.

Em execução existem serviços no Atuba, Portão, Pinheirinho, Bairro Alto, Pilarzinho e CIC, atendendo o norte da Linha Verde, o eixo do ligeirão norte-sul nas avenidas República Argentina e Winston Churchill, os arredores da trincheira da Rua Fúlvio José Alice sob a Linha Verde, a Cruz do Pilarzinho e a Rua Eduardo Sprada. 

De acordo com o secretário municipal de Obras Públicas, o trabalho de requalificação e implantação de calçadas atende as determinações do prefeito Rafael Greca de fornecer as melhores condições possíveis aos pedestres e assim também incentivar as caminhadas, bem como acata os pedidos feitos pela população por meio da Central de Atendimento 156 e via programa Fala Curitiba. 

“Além de fazer as obras necessárias para garantir o caminhar seguro e mais confortável em calçadas da cidade, aliamos a implantação de passeios melhores junto às grandes obras, como acontece na Linha Verde, no eixo de transporte coletivo entre a Praça do Japão e o Terminal Pinheirinho e, também, como já feito na construção da trincheira no encontro da Rua General Mário Tourinho com a Avenida Nossa Senhora Aparecida”, apontou Rodrigo Rodrigues. 

Caminhar Melhor

Para ampliar as intervenções e tornar o calçamento de Curitiba mais seguro, acessível e confortável, a Prefeitura de Curitiba lançou em fevereiro deste ano o projeto Caminhar Melhor, como parte do Programa de Mobilidade Urbana contemplado no Plano de Governo para a gestão 2021/2024. 

A contratação dos serviços está sendo coordenada pela Secretaria Municipal de Obras Públicas e as primeiras intervenções entraram na fase final do processo licitatório. São elas: Avenida do Batel, entre as ruas Desembargador Motta e Carneiro Lobo; Rua Dr. Bley Zorning, entre a Avenida Marechal Floriano Peixoto e a Rua William Boot; Rua Kellers, entre a Alameda Dr. Muricy e a Rua Desembargador Ermelino de Leão; e Rua Cândido Lopes e Alameda Dr. Carlos de Carvalho, entre a Praça Tiradentes e a Rua Visconde de Nácar.

Também já estão autorizadas as licitações de intervenções em trechos das vias Major Heitor Guimarães, no Campina do Siqueira; Doutor Goulin, no Hugo Lange; Francisco Alves Guimarães, no Cristo Rei; Eduardo Afonso Nadolny, na CIC; e João Parolin, no Parolin.

Em fase de projeto do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) estão mais 21,5 quilômetros de novas calçadas em toda a cidade. Segundo o prefeito Rafael Greca, o modelo dos passeios vai privilegiar a acessibilidade e facilitar o acesso ao comércio e aos serviços na região central da cidade e nos centros de bairro.

Novas calçadas

Neste primeiro lote, além de novas calçadas e paisagismo, os projetos incluem a requalificação das vias, drenagem, sinalização viária horizontal, vertical e semafórica, iluminação pública, contenção e infraestrutura para rede de fibras óticas.

Alcançam também a Rua David Tows, no Sítio Cercado, no trecho entre a Rua José Bassa e a Izaac Ferreira da Cruz. Na mesma região estão incluídas obras na Rua Izaac Ferreira da Cruz, no trecho entre a Rua Filósofo Humberto Rohden e Rua David Tows.

Para o Xaxim, estão programadas obras na Rua Primeiro de Maio, no trecho entre as ruas Augusto Dallegrave Figueiredo e a BR-116.

No CIC, as intervenções serão na Rua Desembargador Cid Campelo, no trecho entre a Rua Professor Algacyr Munhoz Mader e a Rua Rodrigo Faiçal Zeni. E também na Rua Léa Moreira de Souza Moura, no trecho entre a Rua Shirlei Solange Montovani e Rua Padre Gastón.

No Cajuru, as melhorias serão feitas na Rua Niterói, entre a BR-277 e a Rua Trindade.

Região Central

Para região central, as melhorias nas vias e calçadas serão feitas na Rua João Negrão, entre a Rua XV de Novembro e a André de Barros; na Rua Cruz Machado, entre a Praça Tiradentes e Avenida Visconde de Nácar; na Rua Desembargador Ermelino de Leão, entre a Avenida Jaime Reis e a Rua Kellers; na Avenida Jaime Reis, entre a Rua Desembargador Ermelino de Leão e a Rua Doutor Muricy; na Rua Doutor Muricy, entre a Jaime Reis e Rua Kellers; na Rua Trajano Reis, entre a Praça do Gaúcho e a Rua Inácio Lustosa e o no trecho entre a Rua Carlos Cavalcanti e o Largo da Ordem.

Também estão incluídas a Rua Voluntários da Pátria, entre a Praça Osório e Rua Saldanha Marinho; a Rua Cândido Lopes no trecho da Praça Osório; a Rua Saldanha Marinho, entre a José Bonifácio e a Fernando Simas; e a Alameda Prudente de Moraes, no trecho entre a Travessa dos Editores e a Alameda Carlos de Carvalho. E ainda a Rua Emiliano Perneta, no trecho entre a Praça Zacarias e a Rua Benjamin Lins.

Estão relacionadas para receber obras a Avenida Sete de Setembro, entre o Largo Baden Powel e a Rua Ubaldino do Amaral; a Rua Francisco Torres, entre a Avenida Visconde de Guarapuava e a Avenida Presidente Affonso Camargo; a Rua Doutor Faivre, entre as Avenidas Visconde de Guarapuava e Presidente Affonso Camargo; a Rua General Carneiro, entre as Avenidas Visconde de Guarapuava e Presidente Affonso Camargo; a Rua da Paz, desde a Avenida Visconde de Guarapuava até a Avenida Presidente Affonso Camargo.

Na região do Bacacheri, serão feitas obras na Rua Estados Unidos, entre as Ruas Costa Rica e a Avenida Prefeito Erasto Gaertner; na Rua Holanda, entre as Ruas Costa Rica e Erasto Gaertner e na Rua Prefeito Erasto Gaertner, ao longo de um quilômetro, entre as ruas Flávio Dallegrave e Álvaro Botelho e ainda na Rua México, no trecho entre a Avenida Erasto Gaertner e Coronel Temístocles de Souza Brasil.

Ciclomobilidade 

Além das melhorias em calçadas, para estimular a mobilidade ativa, Curitiba também tem investido na qualificação e ampliação da estrutura voltada a quem se locomove de bicicleta. Em menos de dois anos, a malha cicloviária de Curitiba passou de 208 quilômetros para 249,2 quilômetros. 

Projetos para outros 35 quilômetros estão prontos, com novas ligações nas regiões dos bairros CIC, Bacacheri e Sítio Cercado e do Água Verde ao Pinheirinho, desde a Praça do Japão ao Terminal Pinheirinho.

A meta é alcançar, até o ano de 2025, um total de 408 quilômetros de estruturas voltadas para quem anda de bicicleta. Nas implantações estão previstos tipos diversos de estruturas cicloviárias, entre ciclovias, ciclofaixas, ciclofaixas sobre a calçada, vias compartilhadas, ciclorrotas e passeios compartilhados.
 

Mais notícias

Rua Rosa Saporski tem ampliação do sentido único a partir de quarta

Os motoristas poderão seguir somente da região do Bigorrilho e adjacências em direção aos bairros Bom Retiro e Centro Cívico

Confira o funcionamento dos serviços no feriado da padroeira do Brasil

Feriado é comemorado na próxima terça-feira (12/10) e alguns serviços e atrativos da capital vão sofrer alteração no funcionamento

Região da Rodoviária terá bloqueios para serviço de limpeza

Interrupções ocorrerão no sábado (9/10), domingo (10/10) e no feriado de terça-feira (12/10), dias de menor movimento no trânsito

Colisões com semáforos causam prejuízo de quase R$ 300 mil

Desde janeiro, as equipes da Setran acumulam 7.885 horas trabalhadas em reparos com acidentes nos semáforos