Teatro e música educam sobre trânsito

Crianças de 5 anos aprendem sobre segurança viária de forma lúdica e divertida com a equipe da Escola Pública de Trânsito (EPTran)

Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação

Com muita música, teatro e diversão acontecem as visitas virtuais na Escola Pública de Trânsito (EPTran). Nesta sexta-feira (14/5), alunos de cinco anos de uma escola particular aprenderam sobre o uso da cadeirinha e regras de segurança no trânsito na atividade oferecida on-line.

Com fantoches e personagens, agentes de trânsito ensinaram de forma remota crianças da quinta turma pré-escolar da escola Atuação. A participação da boneca Júlia auxiliou no aprendizado mais lúdico, com a interação entre professores e alunos com música e dança. 

A modalidade on-line passou a ser ofertada como alternativa às atividades presenciais, interrompidas temporariamente em decorrência da pandemia de covid-19.

A aula dura cerca de 30 minutos e é transmitida a partir da sede da EPTran, no Bosque do Fazendinha. Para o ensino fundamental e médio, a EPTran promove uma visita no circuito intermodal educativo e palestras sobre o comportamento seguro no trânsito.

Instituições de ensino que tenham interesse em desenvolver trabalhos semelhantes sobre educação no trânsito, em parceria com a EPTran, podem solicitar agendamento pelo email eptran@curitiba.pr.gov.br.

Mais notícias

Conduta perigosa no trânsito é reprimida pela Guarda Municipal

Duas situações foram atendidas na Alameda Doutor Carlos de Carvalho, na noite de terça-feira (23/11)

Saiba como ir de carro ao Caminho de Luz do Barigui

O fim da fila dos veículos que se dirigirem ao Barigui será pela Rua General Mário Tourinho. O único acesso ao parque será pela BR-277

Idosos são instruídos a redobrar atenção no trânsito

Em Curitiba, 239.726 condutores com mais de 60 anos trafegam pelas ruas diariamente

Campo Largo conhece projetos da Escola Pública de Trânsito

Intenção da cidade vizinha é criar um órgão nos moldes do que já funciona na capital